Criadores

CHOW CHOW

chowchowgd

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA
Fédération Cynologique Internationale
GRUPO 5
Padrão FCI 205 – 27/01/2011
Padrão Oficial da Raça
CHOW CHOW

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA
Filiada à Fédération Cynologique Internationale
Classificação F.C.I.:
Grupo 5 – Spitz e Tipos Primitivos
Seção 5 – Spitz Asiáticos e Raças Assemelhadas
Padrão FCI no 205 – 27 de janeiro de 2011.
País de origem: China
País Patrono: Grã-Bretanha
Nome no país de origem: Chow Chow
Utilização: Cão de guarda e companhia
Sem prova de trabalho
Sergio Meira Lopes de Castro
Presidente da CBKC
Roberto Cláudio Frota Bezerra
Presidente do Conselho Cinotécnico
Tradução: Claudio Nazaretian Rossi
Revisão: José Luiz Cunha de Vasconcelos
Impresso em: 30 de junho de 2011.

Resumo Histórico

Resumo Histórico

RESUMO HISTÓRICO: a ascendência do Chow é atribuída à China, onde ele foi mantido como cão de guarda e também usado para a caça. Os Chows têm sido reconhecidos na China por mais de 2.000 anos e estão relacionados aos cães nórdicos do tipo Spitz, contendo também algo do Mastiff. Por causa da política de “portas fechadas” da China para o resto do mundo, os Chows não começaram a aparecer em outros países até por volta de 1800. Ele fez o seu caminho para a Inglaterra em algum momento durante o final do século XVIII e não foi realmente notado na Grã-Bretanha até 1920, com alguns exemplares sendo mostrados na Crufts, em 1925.

Aparência Geral

Aparência Geral

APARÊNCIA GERAL: ativo, compacto, lombo curto e acima de tudo bem equilibrado, de aspecto leonino, digno e orgulhoso; bem estruturado; a cauda é claramente portada sobre o dorso. Deve sempre ser capaz de se mover livremente e não pode ter tanto pelo que impeça as suas atividades ou cause sofrimento em
climas quentes. Uma língua preto-azulada é característica.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: A distância da cernelha ao cotovelo é igual à distância do cotovelo ao chão.

Comportamento

Comportamento

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: calmo, bom guardião. Independente, leal e reservado.

Região Craniana

Região Craniana

REGIÃO CRANIANA

Crânio: largo e plano.
Stop: não pronunciado.

Região Facial

Região Facial

REGIÃO FACIAL

Trufa: grande e larga, sempre preta (com exceção dos exemplares de cor creme ou quase brancos, nos quais a trufa de cor clara é admitida; nos azuis e fulvos, admite-se a trufa da mesma cor do pelo (mas a cor preta é preferível em todos os casos).

Focinho: de comprimento moderado e largo dos olhos até sua extremidade (nunca pontudo como o da raposa). Bem cheio sob os olhos.

Lábios: uma boca preta sólida, incluindo o céu da boca e os lábios, com uma língua preto-azulada é o ideal. Entretanto, certa diluição pode ser evidente nas gengivas dos azuis e fulvos e esta diluição pode ser mais pronunciada em cremes e brancos.

Maxilares / Dentes: dentes fortes e alinhados; maxilares fortes com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura, isto é, os dentes superiores recobrem os dentes inferiores e sao inseridos ortogonalmente aos maxilares.

Olhos: escuros, formato oval, de tamanho médio e limpos. É permitida uma cor correspondente a da pelagem nos azuis e fulvos. Olhos limpos, livres de entrópio; nunca deverão ser penalizados meramente em razão do tamanho.

Orelhas: pequenas, grossas, extremidades levemente arredondadas; portadas eretas, rígidas e bem afastadas, inseridas acima dos olhos, voltadas para frente, ligeiramente convergentes, o que dá ao cão a expressão característica da raça, de ar carrancudo. Essa expressão jamais deverá ser alcançada pelo efeito de rugas na pele da cabeça.

Pescoço

Pescoço

PESCOÇO: forte, cheio, sem ser curto, bem inserido nos ombros, ligeiramente arqueado. De comprimento suficiente para portar a cabeça orgulhosamente, acima da linha superior.

Tronco

Tronco

TRONCO
Dorso: curto, plano e forte.
Lombo: robusto.
Peito: largo e profundo. Costelas bem arqueadas, mas não em barril.

Cauda

Cauda

CAUDA: inserida alta, portada sobre o dorso.

Membros Anteriores

Membros Anteriores

POSTERIORES

Aparência Geral: de perfil, as patas estão diretamente sob a articulação do quadril.
Coxas: bem desenvolvidas.
Joelhos: Apenas uma ligeira curvatura.
Pernas: bem desenvolvidas.
Metatarsos: jarretes bem descidos. A angulação do jarrete para o chão deve parecer reta, nunca flexionando para frente.
Patas: pequenas, redondas, como pés de gato, posicionadas e bem apoiadas nos dedos.

 

Membros Posteriores

Membros Posteriores

MEMBROS ANTERIORES

Ombros: musculosos e oblíquos.
Cotovelos: mesma distância entre a cernelha e o solo.
Antebraços: perfeitamente retos, com boa ossatura.
Patas: pequenas, redondas, como pés de gato, posicionadas e bem apoiadas nos
dedos.

Movimentação

Movimentação

MOVIMENTAÇÃO: relativamente curta e saltitante; patas traseiras não se erguem, parecendo roçar o solo, resultando em ação pendular quando vistas de perfil. Seu movimento característico de passadas curtas e saltitantes lhe permite mover-se livremente, sem mancar e com excelente resistência. Os membros anteriores e posteriores deslocam-se em planos paralelos. Os cães devem ser sempre capazes de se moverem livremente e tranquilamente, sem qualquer sinal de sofrimento.

Pelagem

Pelagem

PELAGEM

Pelo: pode ser áspero ou liso.

• ÁSPERO: muito abundante, denso, reto e eriçado, mas não de comprimento excessivo. A textura do pelo é áspera, com o subpelo suave e lanoso. A pelagemé particularmente densa em torno do pescoço, onde forma uma juba e, na face posterior das coxas, em fartos culotes.
• LISO: pelo curto, denso, reto, plano, íntegro, não achatado, de textura felpuda como pelúcia.
Qualquer redução artificial do pelo, que altere o contorno natural ou a expressão, deve ser penalizada, com exceção das patas, que podem ser arrumadas.

Cor

Cor

COR: preto unicolor, vermelho, azul, fulvo, creme ou branco, frequentemente com nuanças, mas sem manchas ou particolor (sob a cauda e na face posterior das coxas a cor é frequentemente mais clara).

Tamanho

Tamanho

TAMANHO
Altura na cernelha: Machos: 48 a 56 cm.
Fêmeas: 46 a 51 cm.

Faltas

Faltas

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão.

Faltas Desqualificantes

Faltas Desqualificantes

FALTAS DESQUALIFICANTES
• agressividade ou timidez excessiva.
• todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de
comportamento deve ser desqualificado.

Nota

Nota

NOTA:
• os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.

CANIL LEVEMOM


PROPRIETÁRIO: KELEN DIAS
FONES: (51) 9501-6414 ou (51) 3104-6414
SITE: http://www.canillevemom.com.br
EMAIL: canillevemom@gmail.com